Home»PAUTA POLÍTICA»Coluna do Gilson / Eleições / PSDB evapora em Ribeirão Preto / Da hora: FHC agora é Haddad /

Coluna do Gilson / Eleições / PSDB evapora em Ribeirão Preto / Da hora: FHC agora é Haddad /

1
Ações
Pinterest Google+

 

Nenhuma surpresa na vitória do ex – capitão do Exército em Ribeirão Preto.

Estava escrito ‘para as estrelas’, que depois do concorrido almoço oferecido pelo Sindicato Rural ao candidato do PSL, durante a Agrishow, que não mais haveria espaço para outros postulantes da extrema direita, direita ou centro nas urnas ‘ribeiropretanas’.

Alckmin, por exemplo, sempre apoiado pelo Agronegócio, e que nunca perdeu eleição por aqui, ficou com o humilhante quarto lugar, com pouco mais de 27 mil votos. Jair foi apoiado por 177.963 eleitores.

No ‘A Cidade’ de domingo, o professor Vicente Golfeto já profetizava nas entrelinhas: “No Brasil, tem ocorrido um dos postulados mais duros da conhecida ciência política: As elites escolhem. O povo referenda”.

Ainda no domingo o ‘A Cidade’ publicava matéria informando que em relação ao nível de escolaridade, destacam-se na região, os eleitores que não terminaram o ensino fundamental, que respondem por 28,4%, os que concluíram o ensino médio, 23,8%, e os que não concluíram essa etapa da formação, 19,3%. Eleitores com superior completo respondem por 9,4% da população apta a ir às urnas.

Então, a grande surpresa ficou por conta da votação conferida a Ciro Gomes, que, em segundo lugar, recebeu 12,6% ou seja, 38.736 votos, deixando Haddad em terceiro com 33.410 eleitores.

Institutos nacionais de pesquisas apresentam agora, números indicando que 80% dos votos do candidato Ciro Gomes devem migrar para Fernando Haddad.

 

Também como prevista, a reeleição de Baleia Rossi à Câmara Federal  foi selada com mais de 200 mil votos. O eleitorado não levou em consideração sua fiel dedicação e proximidade ao presidente Temer. Contou-se mais suas emendas dedicadas à asilos, hospitais e compras de ambulâncias… Indignado um gaito sentenciou: “Ué? Deputado não ganha para editar Leis? Ele não votou a favor da PEC 241 e PEC 300  que retirou mais direitos que reforma trabalhista?”.

“Pois é…”  – retrucou outro não menos gaiato – “Sapo não pula por boniteza, mas porém, por percisão”.

 

O que acontece por aí…

Parece que ninguém foi preso fazendo boca de urna em Ribeirão Preto. Consta porem, que a boca de urna por aqui, foi substituída pela ‘boca de igreja’, onde e quando, pastores, durante o culto, defendiam o voto Universal.

Meu amigo jornalista, teólogo e filosofo, Lázaro Sawaya Donadelli, sentenciou em sua página do Facebook: “Percebi que muitos fiéis da Igreja Católica demonstram absoluta fidelidade aos bispos. Sobretudo ao bispo Edir Macedo”.

 

 

Da hora / FHC é Haddad

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) já declarou apoio ao candidato da frente democrática nas eleições de 2018, Fernando Haddad (PT). A informação é do site Catraca Livre, do jornalista Gilberto Dimenstein. “Entre Haddad e Bolsonaro, não há saída. Vou de Haddad”, disse o tucano, de acordo com o portal. Segundo a matéria, “será um apoio com restrições, já que o ex-presidente tem ressalvas profundas sobre a política econômica e relações exteriores do PT”.

“FHC diz que não gostaria de ver a volta do PT ao Planalto, por considerar que o partido não defende o que considera as reformas necessárias para o país – especialmente a da Previdência. Considera, ainda, que o PT não tem uma visão econômica “correta” sobre como devolver o crescimento ao país, já que defende uma presença forte do Estado. Mesmo assim, o tucano considera que Bolsonaro seria uma opção pior, uma “ameaça” à democracia. FHC suspeita que, com o deputado, haverá um risco autoritário permanente e crise institucional, devido à sua fragilidade de apoios no Congresso”, diz a reportagem.

 

O que li e ouvi por aí

@ “Pô, o Geraldo perdeu até em Pindamonhaba? (Vera Carlini no Empório Brasília)

@“É preciso tirar o Doria da vida pública e devolvê -lo à privada” (Oswaldo Mendes – Jornalista, Ator e Diretor de Teatro).

@“Caros Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (REDE), o Brasil precisa urgentemente de um governo de coalização da esquerda, com um programa claro sobre economia, educação, e saúde. Apresentem esse programa com nomes aos ministérios. Nenhum oponente resiste a um discurso técnico e claro, com propostas explicitas. Não nos deixem a deriva. (Aglael Gama Rossi – Coluna do Leitor – Folha).

@“Lamento que o Brasil cogite eleger alguém que nega a democracia” (Juca Kfouri – Jornalista).

 

 

That’s all, folk – E vamos ao segundo turno. Com dizia minha avó, “ou é calça de veludo, ou bunda de fora”.

 

 

 

 

 

Gilson Filho é jornalista e editor deste Blog MTB 17114/67/15V/SP 

Postagem anterior

Coluna do Gilson Filho / Eleições - Notícias da Hora / O que está acontecendo por aí /

Próxima Postagem

Coluna do Gilson -09/18 / Jornalista acredita que Data Folha amanhã terá efeito 'estouro de boiada' e pode determinar resultado deste segundo turno

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *