Home»KABBALAH»Para refletir neste início de semana / Qual o melhor momento para se arrepender? / Blog do Gilson Filho /

Para refletir neste início de semana / Qual o melhor momento para se arrepender? / Blog do Gilson Filho /

4
Ações
Pinterest Google+

 

Diz o Talmude que aparentemente não há necessidade de apressar o arrependimento de uma pessoa: “Rabi Eliezer disse : “Arrependa-se um dia antes de sua morte.”

Em seguida os alunos do Rabi Elieser rapidamente perceberam que essa diretriz é singularmente desprovida de utilidade:

“Mas uma pessoa sabe quando vai morrer?”

“Mais um motivo, portanto, para se arrepender hoje, caso morra amanhã. Dessa maneira, a vida inteira da pessoa será dedicada ao arrependimento”

Talmude Babilônico, Shabat 153a

A vantagem de se arrepender diariamente é a possibilidade de impedir a pessoa de se envolver em pecados mais sérios.

Muitos que acabam cometendo atoes terríveis nem sempre agiram de forma abominável. Geralmente, suas carreiras “no crime” começavam com pequenos atos de maldade, mas depois seu mau comportamento se intensificava.

O Talmude ensina que na primeira e na segunda vez em que uma pessoa faz algo proibido, sua consciência costuma ser afetada; no momento em que ela realiza o ato pela terceira vez, ele se torna um hábito e a pessoa terá quase se convencido de que a ação é permitida. Entretanto, se você analisar frequentemente seu comportamento, estará mais apto a reduzir a prática de atos nocivos antes que eles se tornem um habito.

Em algum momento da noite de hoje, ainda que isso lhe pareça estranho, pegue papel e caneta e tente avaliar o seu dia. Veja se consegue pensar em qualquer coisa que tenha feito de errado, ou que poderia ter feito de outra maneira.

  • Analise suas interações com as pessoas, especialmente aquelas que possam ter terminado mal. Você contribuiu para o problema? Foi injusto ao dizer ou fazer alguma coisa? Você foi rude com alguém, por exemplo, forçando alguma coisa, recebendo um favor e não agradecendo, ou deixou de oferecer seu lugar no ônibus àquela pessoa idosa em pé ao seu lado?
  • Envolveu-se em alguma interação financeira que talvez fosse imoral? Por exemplo, tentou persuadir alguém a participar de uma transação sem lhe revelar inteiramente as desvantagens?
  • Você falou de maneira injusta sobre ou com outra pessoa? Por exemplo, espalhou um boato ou criticou alguém no trabalho de forma indelicada ou desmoralizante?
  • Em casa você foi impaciente com seus filhos ou seu cônjuge? Você ouviu com atenção quando quiseram conversar sobre alguma coisa com você? Quando critica um membro de sua família, você o faz de forma justa e amável?

Anote também os atos que você realizou e que foram honestos e gentis. Orgulhe-se deles; isso o motivará para querer continuar agindo assim no futuro.

Conta-se que Rabi Levi Ytzchak de Bredilev (1710 – 1810) se sentava todas as noites com papel e caneta nas mãos e avaliava suas ações naquele dia. Quando terminava, revisava a lista e dizia a si mesmo: “Fiz algumas coisas erradas hoje que não deveria ter feito, mas não voltarei a fazê-las amanhã”.

Mesmo se em sua lista houver alguma ações das quais você não se orgulha, não as deixe desmoralizá-lo. Em vez disso, encare sua lista como um desafio por meio do qual você poderá evoluir. Como observado anteriormente, o mestre chassídico Rebe Nachman de Bratslav ensinou: “Se você não for amanhã melhor do que era hoje, porque precisa do amanhã?

Desejo a todos um bom-dia hoje e um dia ainda melhor amanhã.

Shavua Tov!

Rabino Joseph Teleshkin

Postagem anterior

Coluna do Gilson / Papa denuncia prefeito de Ribeirão Preto por usar de 'chantagem' contra a população / Debate na Band: Quem é a Val ? /

Próxima Postagem

Coluna do Gilson / Eu e Anne /

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *